Em Washington, Ban debate crise global na educação

Publicado em: 19/04/2013

Secretário-Geral participa de encontro ministerial na sede do Banco Mundial; Bangladesh, Haiti e RD Congo entre os oito países com o maior número de crianças fora da escola.

Mídia | Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O Secretário-Geral está na sede do Banco Mundial, em Washington, participando de vários encontros sobre educação. Segundo as Nações Unidas, uma das reuniões, a mesa redonda Educação para Todos, é “sem precedentes”. Além de Ban Ki-moon, participam o enviado especial para Educação Global, Gordon Brown, e ministros dos oito países com o maior número de crianças fora das salas de aula.

Haiti e Índia

De acordo com a ONU, metade dos menores no mundo que não frequentam a escola estão em Bangladesh, República Democrática do Congo, Etiópia, Haiti, Índia, Nigéria, Sudão do Sul e Iêmen. Ao discursar no encontro, Ban Ki-moon disse estar “inspirado” pela presença de tantos representantes de governos. Ele ressaltou que a participação dos ministros é um sinal “da forte determinação em fazer da educação de qualidade uma realidade para todos.”

O Secretário-Geral destacou a importância da identificação de ações para garantir que todas as crianças e jovens tenham acesso à escola até o fim de 2015.

Ação Crítica

Ban lembrou que faltam menos de mil dias para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. Uma das oito metas é o acesso universal à educação primária. Para o Secretário-Geral, a reunião é única, mas um “passo crítico” para fornecer educação de qualidade, inclusiva e relevante para todos. Ban Ki-moon disse serem três as prioridades: que todas as crianças frequentem a escola, aprendam e sejam cidadãos globais.

Ele afirmou que a reunião deve ser “ambiciosa”, com a criação de planos concretos para matricular metade da população mundial que está fora da escola. Ban ressaltou que esse seria “um feito extraordinário”.

Documentário

No Banco Mundial, o chefe da ONU também relembrou a recente conversa que teve via Skype com a jovem paquistanesa Malala Yousafzai. Ban Ki-moon ressaltou a “coragem dela diante do terrorismo” e afirmou ter dito à Malala que ela é uma “filha das Nações Unidas.”

Ainda na noite desta quinta-feira, hora local em Washington, o Secretário-Geral participa de um evento sobre o documentário “Girl Rising”, ao lado do presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim, e da atriz indiana Freida Pinto.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *