Falta de preparo e ganância minaram a qualidade e estabilidade do rádio

Publicado em: 22/12/2011

Em Curitiba o excesso de emissoras provocou grande alteração na divisão do pequeno bolo publicitário e a consequente redução no faturamento das empresas. Em 1950 havia quatro emissoras de rádio na cidade. Em 2002 eram 45 as rádios atuando na região metropolitana de Curitiba. Para sobreviver muitas delas passaram a lotear seus espaços vendendo para quem assim o desejasse. A escassez de anunciantes levou muitas emissoras a situação de penúria sem recursos para investir em novos equipamentos e manter suas empresas em boas condições. Muitos diretores de rádios viram nos políticos um caminho para minorar as dificuldades, não só com a venda de espaços para eles, mas também como forma de disputar com maiores chances, as generosas verbas públicas, tão necessárias para garantir a continuidade de seus negócios.
O domínio dos políticos no rádio cresceu de forma assustadora nos últimos anos, quando a concessão de canais de rádio passou a ser moeda de troca e de barganhas nas altas esferas do governo. A concessão de dezenas de emissoras para parlamentares e correligionários políticos já seria o suficiente para acentuar ainda mais o quadro de dificuldades dos empresários e profissionais do setor. Como se isso não bastasse, criaram leis que permitiram aos partidos políticos utilizar generosos espaços nos horários nobres do rádio para fazer campanhas promocionais de partidos e seus dirigentes.
O rádio ficou com menos espaço para sua programação, com grande reflexo no faturamento de publicidade. Com menos dinheiro no caixa e maior concorrência, para muitos empresários do setor, só restou vender a emissora e mudar de ramo. Curitiba foi uma das cidades com maior número de transações comerciais envolvendo compra e venda de emissoras de rádio. Algumas delas passaram por mais de cinco proprietários nos últimos 30 anos.
(do livro Sintonia Fina – JamurJr)

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *