Morre aos 90 anos jornalista Pedro Paulo Machado

Publicado em: 26/10/2013

Editor de Esportes do jornal O Estado marcou profundamente uma carreira inteiramente dedicada ao jornalismo prado, prudente e dedicado. Além de outros títulos foi considerado patrimônio do jornalismo esportivo de Santa Catarina.

Pedro Paulo Machado recebe do pres. da FESPORTE, Pedro Lopes a Comenda do Mérito Esportivo. Foto: ACESC

Pedro Paulo Machado recebe do pres. da FESPORTE, Pedro Lopes a Comenda do Mérito Esportivo. Foto: ACESC

Pedro Paulo nasceu no dia dois de fevereiro de 1923 na então bucólica Praia de Fora, atual Av. Beira Mar Norte. Filho de família numerosa – contava com mais seis irmão – cedo passou a trabalhar para ajudar nas despesas da casa.

Após frequentar a Escola Técnica Federal de Santa Catarina exerceu a profissão de gráfico, na Imprensa Oficial do Estado. Interessado, frequentava a Biblioteca Pública do Estado para ler jornais, livros e revistas que lhe abriram caminho para o jornalismo através de colaborações publicadas pelo jornal Dia e Noite. Com isso ganhou a atenção dos jornalistas Waldyr Grisard e João Frainer, responsáveis pela redação do Diário Oficial do Estado.

Graças a esse conhecimento passou a publicar seus textos no jornal A Gazeta onde permaneceu até ser convidado por Altino Flores para dirigir e editar a página de esportes do jornal O Estado, função que exerceu por quase 40 anos.

A época era de muito poucos recursos técnicos para a exigências de uma cobertura estadual. O telefone era de difícil acesso nas redações, os jornais do Rio, São Paulo, Curitiba e Porto Alegre chegavam com dois ou três dias de atraso, impossibilitando a reprodução de notícias de interesse do leitor local. O material para ilustração dos textos – os clichês – eram caros e as empresas jornalísticas não podiam financiar.

Mesmo assim, Pedro Paulo conseguia estampar nas páginas de O Estado, material condizente com o que se passava no esporte catarinense. Com dedicação e criatividade o editor do maior jornal do Estado foi ganhando méritos e somando sucessos.

Liderou o movimento para a fundação da Associação dos cronistas Esportivos de Santa Catarina (Acesc), chegando a presidir a entidade 25 anos depois.

Pedro Paulo foi alvo de homenagens pela Acesc, foi membro do Conselho Superior da ACI/Casa do Jornalista. Participou do 1º Congresso da Crônica Esportiva de SC. Foi o primeiro catarinense a ser homenageado com o diploma do Mérito Profissional conferido pelo 1º Congresso Nacional de Cronistas Esportivos, realizado em São Paulo, na temporada de 1974.

Como atleta o jornalista Pedro Paulo tentou a carreira do futebol treinando no Avaí e Paula Ramos FC. Participou de provas de pedestrianismo e tentou a carreira de boxeador, sem sucesso. Enquanto isso, aplaudiu e divulgou notícias de seu irmão José Abílio Machado (Stanford) que aos 16 anos surgiu no Bocaiúva e Caravana do Ar e fez carreira em Curitiba conquistando títulos no Coritiba FC e Seleção do Paraná.

Pedro Paulo na redação de O Estado, 1956

Pedro Paulo na redação de O Estado, 1956

Pedro Paulo Machado, ainda garoto, perdeu o sentido da audição, num acidente caseiro. Aprendeu  leitura labial com seu próprio pai. Sem complexo pela falta da audição, superou todas as barreiras em sua profissão, embora com as naturais dificuldades.  Sem mágoas, o jornalista se ressentia apenas da falta de reconhecimento por parte da empresa onde trabalhou a maior parte de sua vida profissional, dizendo “Quando eu me chamar saudade quero preces e nada mais”.

Como editor de esportes de O Estado, Pedro Paulo deu enfoque especial ao futebol e ao remo, mantendo para isso, arquivo próprio. Quem se dedicar à pesquisa do chamado Esporte dos fortes, vai encontrar tudo aquilo que o remo representou para o Estado e para o Brasil, através dos textos do jornalista ilhéu. Vai sentir o trabalho iniciado na madrugada e finalizado na calada da noite nos galpões dos clubes sempre em busca da informação precisa para os seus leitores.

O Estado, durante o seu tempo de editor esportivo, foi o único jornal da Capital que cobriu todas conquistas do remo barriga-verde em território brasileiro ou no exterior. Também o ciclismo, a vela, o bolão, atletismo, vôlei, basquete, natação e futebol de salão, ganharam o espaço merecido nas páginas de O Estado.

Pedro Paulo Machado, não deve e não pode ser esquecido pela sua trajetória de sucesso. Foi o general de tropa de elite do jornalismo ilhéu. O corpo de pedro Paulo foi sepultado neste sábado/26/10/2013

Por Maury Dal Grande Borges

Jornalista e escritor, nasceu em Florianópolis, em 1935. A carreira no jornalismo esportivo foi iniciada a convite de Pedro Paulo Machado, editor esportivo de O Estado. Colaborou com as equipes de esportes das Rádios Diário da Manhã e Guarujá e dos jornas A Semana e A Gazeta. É autor de 85 anos de bola, Nas águas da história, Futsal em traje de gala e 100 de futebol (no prelo).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pedro Paulo Machado recebe do pres. da FESPORTE, Pedro Lopes a Comenda do Mérito Esportivo. Foto: ACESC

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *