Os inoperantes programas policiais

Publicado em: 29/06/2012

“Aprenda a ceder em favor de muitos, para que alguns intercedam em seu benefício nas situações desagradáveis”. (Chico Xavier)

A ordem é defender-se, pois estamos entregues ao caos social. Não converta seus ouvidos num paiol de boatos. A intriga é uma víbora que se aninhará em sua alma. Não se iluda com intrigas e com boatos, seja sensato e aja pelo coração. Não transforme seus olhos em óculos de maledicência. A imagem que você corromper viverá corrupta na tela de sua mente. A mídia televisiva vem trazendo para dentro de seu lar a violência exacerbada que acontece no nosso dia a dia.

Hora do almoço, a hora sagrada da refeição material, se alguém resolve sintonizar algum canal se depara com os chamados canais que dizem combater a violência, mas na realidade eles estão mostrando é a violência crescente que nos causa nojo, ainda amais quando alguns apresentadores esquecem a ética e fazem julgamentos precipitados como se fossem juízes e donos da verdade.

Na realidade você ao se deparar com programas dessa natureza estará imantando juntamente com sua família a “cultura” da violência que não leva a nada. Não faça de suas mãos lanças para lutar sem proveito. Use-as na sementeira do bem. Não menospreze suas faculdades criadoras, centralizando-as nos prazeres fáceis. Alguns profissionais da comunicação social estão se aproveitando desse estilo de programa para angariar benefício próprio, pois normalmente serão futuros concorrentes a cargo político.

Em determinado programa ouvimos um apresentador usar palavras que não condizem com a ética de um profissional de comunicação, ao se referir a um ser humano, que usou o instinto para praticar o mal. E o pior, ainda insinuando que presidiários praticassem o mesmo ato que o acusado teria praticado quando o delituoso chegasse ao presídio. O aspecto do apresentador era de ira, de agressividade, de ferocidade. Esquecendo-se, certamente, de cada um

responderá pelo que fizer.

Com essas afirmações quero dizer que não sou a favor da violência, mas a raiva, a ira, mesmo que não seja consciente é um viés para possíveis atos violentos.

A televisão bem como o rádio estão decaindo escandalosamente em termos de programação. O horário dos programas policiais deveria ser estudado pelos controladores da mídia, visto que, atualmente o espaço ocupado por eles é inconveniente, em razão de muitas crianças estarem almoçando e se preparando para ir à escola. A justificativa que diz: “O povão gosta”. É uma falsidade. Isso não condiz com a realidade.

Os meios de comunicação estão eivados de programas policiai. A concorrência pela audiência é grande. O sensacionalismo exagerado é deletério, e nos deixa à mercê das angústias e dos sofrimentos.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *