Papo Livre – 89

Publicado em: 10/04/2010

E chegou a hora do nosso papo livre para eu contar causos pra vocês.  Lá pelos anos 60, certo dia apareceu na Rádio Clube Paranaense, onde eu trabalhava o meu amigo Orlando Woczikosky, grande poeta curitibano. Eu apresentava as trovas do Orlando em meus programas colhendo-as de um manuscrito que ele me dera de presente. Naquela visita Orlando levou consigo outro poeta, do qual eu achava linda uma trova conhecida em todo o Brasil, mas que até então eu não sabia quem era o autor.

A trova, vocês devem conhecer, diz assim:

“Eu vi minha mãe rezando
aos pés da Virgem Maria;
era uma santa escutando
o que outra santa dizia”.

É linda essa trova. Vocês sabem quem é o seu autor? O saudoso poeta Barreto Coutinho, o homem que o Orlando Woczikosky levou para me visitar no estúdio da Bedois. Seu nome completo é Ermírio Barreto Coutinho da Silveira. Nascido em Limoeiro, Pernambuco, Barreto Coutinho era médico e professor universitário no Rio de Janeiro e, vindo para a capital paranaense, foi presidente da União Brasileira de Trovadores  – seção de Curitiba. Naquela visita o poeta pernambucano me contou uma curiosidade. A sua famosa trova originalmente era um pouco diferente. Quando começou a correr o Brasil, alguém modificou um pouco os versos do poeta, deixando a trova como até hoje é conhecida. Eu perguntei se ele não ficou aborrecido por terem modificado seus versos e ele me respondeu: “Que nada. Quem modificou deixou melhor!”

Barreto Coutinho era assim, simples e bom, como são aqueles que realmente têm valor.

Este nosso Papo Livre é reproduzido no site www.carosouvintes.org.br do meu amigo Antunes Severo.

1 responder
  1. Rogério Serman says:

    Caro Ubiratan: provavelmente você não lembrará de mim, pois minha permanencia no rádio e TV de Curitiba não foi muito longa. Em 1965 trabalhei na Rádio Independência e TV Paraná como noticiarista . Depois , por um breve período , como sug-gerente da Rádio Tingui. Voltei à minha cidade na inauguração da TV Esplanada de Ponta Grossa , onde fiquei por 12 anos .Retornei ao rádio, na PRJ-2 , onde estou desde então .E lá se vão 50 anos ao microfone ,mas sempre com entusiasmo a alegria , fazendo valer o pensamento de Confúcio que dizia: ¨Ame a profissão que escolher, que então não precisarás trabalhar em nenhum dia de tua vida¨ . Sou um adminador de teus textos e de tua trajetária brilhante no rádio.
    Saúde e paz.

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *