Sexo pago

Publicado em: 20/08/2008

 A maioria das pessoas que se prostituem no Brasil tem menos de 30 anos e nível baixo de escolaridade. Muitas mulheres, por exemplo, dizem que não são de programa, dizem apenas que são massagistas. Mas no final fazem sexo por dinheiro atendendo homens, mulheres e casais. Custo da “massagem”: 100 reais.

  Existem aqueles que são estudantes universitários e entram na prostituição por gostar de sexo. Quando o dia é bom fazem quatro programas por dia, seja em hotel, motel ou na casa do cliente.

Este clima está presente no programa de rádio “A Maçã- intimidade on-line”, feito por alunos da quinta fase do Curso de Jornalismo da Faculdade Estácio de Sá de Santa Catarina.  

Os acadêmicos foram mais a fundo no assunto entrevistando um psicanalista que analisou os motivos que levam alguém a entrar na profissão considerada de dinheiro fácil. Falaram também com um advogado que enfocou a questão polêmica de que a prática da prostituição não é crime no Brasil, mas induzir alguém a se prostituir ou gerenciar profissionais do sexo é ilegal.

Em breve, o programa “A Maçã” poderá ser acessado na Rádio Antena Estácio (www.antenaestacio.com.br), emissora experimental on-line voltada para os alunos de Jornalismo e de Publicidade da Estácio de Sá. Mas vocês do Caros Ouvintes poderão acompanhar o programa agora com exclusividade.
 

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *