Uma história de Natal

Publicado em: 24/12/2010

Gayla Peevey era um menininha cantora, um talento precoce residente em Oklahoma City, nos Estados Unidos. Existe uma lenda: próximo ao Natal de 1953, ela teria sido chamada pela Columbia Records para gravar uma música, quase um jingle, com o objetivo de arrecar fundos para o zoológico local. A intenção era comprar um hipopótamo. Mas em 2007 ela mesma contou em entrevista à rádio WNIC, de Detroit, que o disco, em 78 rpm, não fora gravado originalmente com aquela intenção. Na verdade, a popularidade da marcha – no estilo das tocadas nas “parades” americanas – acabou sendo usada pelo zoo que conseguiu doações suficientes para comprar uma bebê hipopótamo chamada Matilda que viveu por mais de 50 anos. A marcha continua sendo um ícone das tradições natalinas americanas. Gayla Peevey, atualmente com 65 anos, continua em Oklahoma.
I want a hippopotamus for Christmas
Only a hippopotamus will do
Don’t want a doll, no dinky Tinker Toy
I want a hippopotamus to play with and enjoy
I want a hippopotamus for Christmas
I don’t think Santa Claus will mind, do you?
He won’t have to use our dirty chimney flue
Just bring him through the front door,
that’s the easy thing to do
I can see me now on Christmas morning,
creeping down the stairs
Oh what joy and what surprise
when I open up my eyes
to see a hippo hero standing there
I want a hippopotamus for Christmas
Only a hippopotamus will do
No crocodiles, no rhinoceroses
I only like hippopotamuses
And hippopotamuses like me too
Mom says the hippo would eat me up, but then
Teacher says a hippo is a vegeterian
There’s lots of room for him in our two-car garage
I’d feed him there and wash him there and give him his massage
I can see me now on Christmas morning,
creeping down the stairs
Oh what joy and what surprise
when I open up my eyes
to see a hippo hero standing there
I want a hippopotamus for Christmas
Only a hippopotamus will do
No crocodiles or rhinoceroseses
I only like hippopotamuseses
And hippopotamuses like me too!
0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *